As Figuras Da Velha Aliança – Parte II

Se houver rebeldia na hora da provação, então nos fechamos para a graça de Deus, e sem essa graça não haverá força suficiente para vencer o pecado. A consequência seria a derrota em nossas vidas. Temos encontrado vários cristãos que nos momentos de lutas e provações amarguram-se, rebelam-se e acabam sem forças para vencer o pecado, ficando presos e derrotados por coisas que Deus nunca quis e nem desejou para eles.

O primeiro versículo no capítulo 4, do livro de Lucas, diz: “Jesus foi do Jordão ao deserto. O Jordão foi onde o Senhor foi batizado. Após o batismo, foi treinado e tratado no deserto, a Bíblia diz que ele estava cheio do Espírito Santo”. Realmente esses são os passos de Deus para nós.

Quando somos batizados nas águas e no Espírito, estamos prontos para receber uma ação mais profunda, é a operação de Deus em nossos corações para nos tratar. A Bíblia nos ensina e acrescenta verdades sobre verdades. Pedro diz: “À fé que é a salvação, acrescentai a virtude, que é o Poder de Deus que vem pelo batismo no Espírito Santo”. E, acima da virtude, o conhecimento ou ciência, experiência que Deus nos abre à Palavra, renova e enriquece o nosso conhecimento; após o conhecimento vem o domínio próprio, e este vem pelo deserto, ou seja, o tratamento de Deus.

É impossível prosseguir no caminho de Deus sem passar pelo seu tratamento. Não há maneira de vencermos na vida cristã sem este chamado domínio próprio. E isto vem pelos tratamentos do deserto. “Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito no deserto…” (Lc. 4:1), por isso mesmo, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança (II Pe. 1: 1-8).

Várias pessoas têm confundido derrotas em suas próprias vidas com vícios e desertos. Como dissemos antes, o deserto não é para sermos vencidos pelo pecado, mas sim tratados por Deus e purificados. As pessoas entendem mal quando Deus as está tratando, e então se afundam em problemas. Em Jo. 17:15-17 Jesus orou pedindo ao Pai: “Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal”, e completou dizendo: “…Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade …” A nossa proteção está na verdade, ela é nosso escudo. Não sejamos enganados pelo diabo, dando permissão à carne em seus desejos como se estivéssemos no deserto.

Podemos passar pelo fogo e pelas águas, isto é, vencidos e derrotados pelas circunstâncias, mas estar em vitória e, inclusive, louvar ao nosso Deus. “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; indo, pelos rios, elas não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti” (Is.43:2). Foi o deserto que fez separação e purificação entre a velha e a nova geração. Todos os homens que saíram do Egito, a velha geração, morreram no deserto, com exceção de Josué e Calebe. Ali ficou tudo que era mistura, queixas, murmurações, e pecados. Deus nos passa por este lugar para nos aperfeiçoar, tratar e ensinar a vencer todas as coisas do velho homem, e dar vida ao novo homem.

 

Continua…

Bispo Rodovalho

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *