novoscaminhos

As conquistas humanas ou vem pela força e violência ou pela sabedoria e habilidade

Cada novo território que você almeja só será conquistado ou pela vitória ou pela sabedoria. Apenas estes dois atributos são geradores de conquistas. Ou nos impomos pela violência e intimidação, ou nos impomos pela liderança que nasce da habilidade e do conhecimento. Quer sejam novas conquistas financeiras, ou novas promoções, ou novos relacionamentos emocionais, toda nova conquista humana acontecerá pela sabedoria e habilidade ou pela força e violência. E não é preciso dizer que a única conquista permanente é a que provém da liderança legitimada pela habilidade e pelo conhecimento.

Victor Hugo, poeta e filósofo francês, escreveu que “podemos impedir uma invasão de exércitos, mas não podemos invadir uma invasão de ideias”. O primeiro é a força, e depois vem a habilidade. Convença as pessoas de suas ideias, da lógica e do bem comum que suas ideias trarão e você as terá ao seu lado. Mostre que no processo proposto por você todos ganham.

Não quero desprezar o conceito da força. Todos sabem que no processo de construção a inspiração contribui apenas com 2%, ou seja, os restantes 98% provêm da “transpiração” e, isto, vem pela força de trabalho. No livro de Deuteronômio 8:7 está escrito: “Deus te dá forças para adquirires riquezas”. Não existe trabalho sem energia e essa produz riquezas. Acho bastante utópico subdimensionar a força do trabalho, como vemos alguns tentando fazer.

Temos que trabalhar duro para obter os resultados que queremos. O sonho da maioria das pessoas é se aposentar e colocar o capital para trabalhar para eles, o que é uma grande ideia. Mas alguém estará trabalhando, no final das contas. Em Provérbios 21:22 diz que “o sábio escala a cidade do poderoso e derruba a força da sua confiança”. Nesse texto encontramos a sabedoria prevalecendo sobre a força. Em meu livro Conquistando a Fortaleza dos Valentes eu mostro como os “fortes” se refugiam em fortalezas, acreditando serem intocáveis dentro delas. Mas o texto prossegue declarando que esta fortaleza somente estará segura enquanto o “forte” não encontra um sábio porque o sábio o vence e o tira de lá. Vivemos hoje em uma sociedade de competências e habilidades que decidem as competições. A violência de hoje é um atributo pouco ousado, de pouca eficácia e de duração breve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *