As consequências da queda parte 3


Cristo foi levantado no madeiro. Desde o Velho Testamento, Deus anunciou que cravaria a serpente na cruz e que toda a semente má na natureza humana seria um dia aniquilada. Por isso, em I Co. 15:47-49, Paulo declara que existem duas descendências:
“O primeiro homem, sendo da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. Qual o terreno, tais são também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial”.

A  descendência do primeiro Adão é carnal e vive segundo o pecado. A descendência do segundo Adão é do céu, de Cristo. Pertencemos a uma dessas descendências. Cristo crucificou a natureza carnal. Ele matou toda a descendência pecaminosa dentro de nós. Aleluia!

Jesus crucificou a serpente que foi gerada no Éden. Ele a aniquilou e começou uma outra geração de homens que não andam segundo a carne, fazendo a vontade do diabo. Quando entendemos que em nós carne é a herança do maligno, temos outra atitude para tratá-la.

Deus planta em nossos corações a sua Divina semente, e a menos que entendamos que a primeira semente foi aniquilada na cruz, teremos o que Paulo diz em Gl. 5: 17: “…a carne milita contra o Espírito e o Espírito contra a carne…” Mas nós sabemos que a semente da carne foi feita ineficaz pela cruz e, quando nos batizamos, tomamos posse da morte da natureza adâmica que foi levada à cruz com Jesus.

Quando descemos às águas do batismo, nos apoderamos da morte da carne. A partir daí, temos a semente da Palavra de Deus agindo em nossos corações, portanto, nos tomamos vencedores no Senhor. Legalmente, quando Jesus foi à cruz, toda a humanidade estava sendo liberta. Ele estava crucificando a serpente que opera em toda humanidade.

De maneira judicial, a ação da serpente tomou-se nula, porém precisamos tomar esta ação real e prática em nossas vidas. Tudo o que Cristo conquistou na cruz precisa vir à prática e se tomar experimental em nossas vidas.
Paulo dizia que conhecia o bem, porém praticava o mal. O diabo conhece o bem e o mal, mas só pratica o mal.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *