Bíblia Sagrada: uma farsa ou uma revelação de Deus? Parte III

Bíblia Sagrada: uma farsa ou uma revelação de Deus? Parte III

Nós temos diversas comprovações arqueológicas e históricas que atestam a veracidade da Bíblia Sagrada. Um exemplo é a cidade onde Abraão viveu, chamada Ur, na Caldéia, a qual foi encontrada pela expedição do cônsul inglês Taylor, em 1854. Esta cidade possuía monumentos de até 100 metros de altura. A sua citação aparece na Bíblia Sagrada, e os exploradores a encontravam exatamente conforme a Bíblia relata.
Outra comprovação existente é a respeito do dilúvio. textos em cerâmica suméria, datadas do século sétimo a.C, narram com exatidão os textos bíblicos.
Outra comprovação existente é sobre a Arca de Noé. Foi encontrado um enorme objeto construído em madeira, datado de 1500 anos antes de Cristo, no Monte Agridage, monte com 5175 metros, na fronteira entre Rússia e a Turquia.
Além disso, estudos de astronomia mostram que provavelmente houve um erro de 7 anos no cálculo do calendário gregoriano, que é o calendário cristão que utilizamos. É possível estimar que Maria tenha concebido a Jesus por volta do ano sétimo, porque os relatos bíblicos falam do aparecimento de uma estrela, que coincidem com estudos que mostram o que se chamou de Estrela do Oriente.
Existem inúmeros evidências científicas da veracidade da Bíblia Sagrada, além de comprovações empíricas científicas.
Cientistas Cristãos
Não bastassem estudos e descobertas, é preciso ressaltar que algumas das mentes mais brilhantes de todos os tempos foram de cientistas e pesquisadores cristãos.
Alguns exemplos desses notáveis:
-Isaac Newton, que era físico;
-Lord Kelvin, criador da termodinâmica;
-Luís Pasteur, criador da microbiologia;
-Johannes kepler, criador da astronomia moderna;
-Holland Boyle, que foi o maior químico da sua época.
Todos estes homens foram cristãos. Acreditavam na Bíblia como sendo a Palavra de Deus e criam tanto na veracidade como na teoria Teocêntrica da criação do mundo.
Um grande cientista, chamado Dr. Dirac, da Universidade de Cambridge, ganahdor de um prêmio Nobel, afirmou categoricamente que “parece que houve um momento definido da criação do mundo”, sendo esta a primeira vez em que um cientista usou o termo criação desta forma.
Recentemente, em 1980, o astrônomo e professor Hermond Bond, também dedicou seus estudos e para comprovar a criação do mundo. Nesse caso específico é interessante uma evidência encontrada no livro de Jó. O texto, que vem de uma tradição oral de quatro mil anos, diz que o “norte se estende sobre o vazio, suspende a Terra sobre o nada”. É interessante lembrar que esse texto milenar declara que Deus suspende a Terra sobre o nada, mas apenas há pouco mais de um século os cientistas começaram a acreditar que a Terra e as estrelas eram sustentadas por algum tipo de éter. Assim , o livro de Jó declarou com exatidão que o planeta move-se em sua órbita através do espaço exterior vazio.
Os estudiosos judeus calculam que a Torá, que contém os livros que originaram nosso Velho Testamento, descreve a duração exata da aparição das fases da lua nova, o que é determinante no clima do planeta. Enquanto isso os cientistas calculam um imenso número de variáveis cujas combinações são imprescindíveis para haver vida humana no planeta. Ou seja, se a Terra estivesse mais longe do Sol ela se congelaria, se estivesse mais perto seria queimada. Como nosso Deus é extremamente cuidadoso, os livros de Jó, Eclesiastes, Isaías e Jeremias descrevem a complexidade do sistema climático do mundo. Um exemplo interessante está em Eclesiastes, que diz que “todos os rios vão para o mar e o mar não se enche“, sendo que somente agora, recentemente, foi descoberto que 80% da evaporação das águas que formam as nuvens provem dos oceanos, e por isso eles não se enchem.
O rei Davi faz uma referência misteriosa a respeito das veredas dos mares, que era incompreensível para a ciência. Isto foi interpretado pela ciência apenas em 1786, quando Benjamim Franklin publicou a informação de que havia no meio dos mares as enormes correntes marítimas, e que estas são as responsáveis pelo aquecimento ou não dos continentes.
A última exemplificação que gostaria de dar a respeito da perfeição do cérebro humano, o órgão mais complexo de todos. Ele pesa aproximadamente 1400 gramas, e contém uma intrínseca conexão de tecidos nervosos, mais conhecidos por neurônios. Além disso, existem outros bilhões de células que facilitam a comunicação com estes neurônios. Em menos de 1 segundo, este órgão poderá calcular a trajetória de uma bola arremessada a 50 km/h em sua direção, sem aviso. O cérebro envia mensagens para os músculos das pernas e braços, numa velocidade de 500 km/s para que você se mova e agarre a bola. É uma sofisticação e precisão tamanha, que se torna difícil acreditar em teorias que alegam que a formação do ser humano venha de uma combinação aleatória de proteínas e aminoácidos.
Certamente poderíamos falar de inúmeros evidências que comprovam a veracidade das escrituras, e que elas relatam a Palavra de Deus, mas a própria vida é o suficiente para mostrar que há um Deus verdadeiro, e que ele se revela através da Bíblia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *