Bispo Rodovalho entrevista pastor Miguel Piper, idealizador da Comunidade Cristã de Curitiba e amigo de longa data

Nos últimos dias, o ministério Sara Nossa Terra tem promovido a Celebração Internacional – A Unção da Excelência, e tem marcado a vida de milhares de pessoas com ministrações e Palavras de força. Durante o evento em Curitiba, que ocorreu pela primeira vez no Sul, Bispo Robson Rodovalho entrevistou o amigo e pastor Miguel Piper, que em 197o veio dos Estados Unidos para o Paraná e em 1982 fundou a Comunidade Cristã de Curitiba.

Confira a entrevista na íntegra:

Bispo Robson Rodovalho – Quando e por que você veio para o Brasil?

Pastor Miguel Piper – Nós chegamos aqui em agosto de 1970 e nós tivemos uma chamado de Deus muito forte em novembro do ano anterior. Estava em uma reunião e Deus disse: “as decisões feitas em oração são decisões eternas”. Eu disse sim para o Senhor e orei para o Brasil ser essa Tua vontade. A minha esposa, pastora Terry já estava aqui há dois anos e meio e ela disse: “Miguel creio que é a vontade de Deus para nós.” Oramos durante um ano e Deus confirmou que era aquilo mesmo. Nós casamos em três meses, pegamos nosso visto permanente e viemos embora de navio, porque sabíamos que se Deus chamou, Ele iria realmente nos cobrir e abençoar.

Bispo Robson Rodovalho – Naquela época, como era o evangelho no Brasil?

Pastor Miguel Piper – Existiam muitas tendas, uma ou duas denominações e eles estavam meio que esparsamente sobre a nação. O que estava acontecendo é que Deus estava chamando para essa nação, porque Ele deu essa visão que o Brasil era esse gigante que ia acordar e tocar as nações

Bispo Robson Rodovalho – Nós nos encontramos em Ribeirão Preto, em São Paulo, junto com o Bispo Cirino. Conta para nós um pouco desse encontro:

Pastor Miguel Piper – Nós estávamos lá já há sete dias celebrando a festa dos tabernáculos e vocês chegaram assim de uma forma notável. Imediatamente o espírito santo começou a falar que precisava ordenar, que vocês eram ministérios que iam tocar essa nação. Eu lembro que Adiel Almeida de Oliveira, que era o apóstolo principal daquela época falou comigo e com pastor Márcio assim: “Nós precisamos ordenar esses homens”. Chamaram para a frente e não teve nem dúvida, todos nós impusemos as mãos, começamos a profetizar sobre o que era o plano de Deus para vocês e para a nação.

Bispo Robson Rodovalho – Isso foi em 1977, depois você foi o instrumento que de alguma maneira indicou o pastor Ernest Gentile com a história da chama. Como foi essa história?

Pastor Miguel Piper – Ele é um profeta, sem dúvidas. Ele nos tocou em 73,75 e 78 e quando ele veio nós falamos sobre o que Deus estava fazendo em outras regiões do Brasil e como Deus estava unindo nossos corações como se fosse um grupo para tocar a nação. E ele é um profeta assíduo, aquele que diz seu presente, passado e futuro e é um homem muito manso, mas muito forte no espírito. Ele disse: “Miguel, eu sei que Deus tem para você e essa nação um grande mover” e ele teve uma visão que, ele viu a nação brasileira  com chama de fogo toda ao redor e que no meio da nação, em Brasília, ele não sabia que era Brasil, mas disse: “Eu vejo homens de Deus pegando flechas e mandando para as nações e essas flechas com fogo do espírito daqui para tocar essas nações.” Essa visão ele teve em 68/69 e ele transmitiu isso para nós, então era algo que vivia em nós e transmitíamos para todos que conhecíamos.

Bispo Robson Rodovalho – Você sabia que a chama, a logo da Sara Nossa Terra que nós usamos veio dessa visão?

Pastor Miguel Piper – Sim e é muito certo isso, porque querendo ou não, Deus vai costurando a sua vontade em muitos homens e Ele vai contagiando nossos corações. E o fogo do espírito todos nós queremos viver esse fogo que não mata, nem destrói, mas anima e leva adiante para quebrar os poderes das trevas. Ernest para nós foi um grande motivador como um profeta apontando o futuro para nós, dizendo essa é a vontade de Deus para vocês, vai em frente que vocês vão alcançar.

Bispo Robson Rodovalho – Depois em Goiânia, no Setor Oeste, lembro que o pastor Ernest pregou para nós e falou dessa visão. Foi você que o indicou para nós?

Pastor Miguel Piper – Isso mesmo, ele queria tocar os focos do mover de Deus, tocar pessoas que tem potencial. E nós falávamos sobre vocês porque também sabemos que você conhece as pessoas no espírito, quando você põe a mão, conversa e toca há uma chama dentro que sabemos que aumenta. E ele me perguntou onde mais poderia  ir, então nós tínhamos ido em Curitiba, Londrina e daí falamos para ele ir para Goiânia porque lá tinha um grupo que Deus estava usando e iria usar ainda mais.

Bispo Robson Rodovalho – Depois você voltou à Goiânia para ministrar no centro de convenções católico que nós usávamos. Conta um pouco desse período.

Pastor Miguel Piper – Foi um momento que começamos a sentir um sinergismo entre pequenos grupos que se chamavam comunidades, alguns nem nome tinham,  mas começamos a unir e sentir que Deus estava fazendo uma unidade entre nós. Nos reunimos muitas vezes, conversamos sobre o que é a cobertura espiritual, como trabalhar em equipe, então Deus foi moldando e nisto começamos a unir nossos corações e os ensinos começaram a ser iguais. Tão parecidos que eram do espirito, porque só ele pode fazer isso.

Bispo Robson Rodovalho  – Você lembra um pouco sobre 82, quando ordenamos o pastor Cesar Augusto Machado que ficou como pastor comigo, quando em 84 o Bispo Cirino saiu de Goiânia e nós compomos o presbitério daquela ordenação?

Pastor Miguel Piper – Foi muito importante nós entendermos que apesar de distâncias nossos corações eram unidos, um mover do espirito testificava o meu e o seu coração que podíamos trabalhar juntos, que não eramos separados, que o mesmo espirito e autoridade espiritual para por as mãos e abençoar existia e isso é algo que muitas pessoas fazem como ritual, mas nós sabíamos que Deus estava tanto nos unindo como dando poder para ordenar as coisas em nome de Jesus.

Bispo Robson Rodovalho – Junto com você, veio também o seu cunhado para o Brasil, o pastor Márcio.

Pastor Miguel Piper – Na verdade ele veio antes de mim, em 64 e é como o missionário sênior. Ele é um mestre profético e ele sempre estava junto nessas reuniões porque, ele tanto tinha a capacidade de ouvir e de contribuir assim como nos momentos proféticos. Ele tinha algo como o Ernesto, de ver presente, passado e futuro. E isso para nós de ter que honrar, existem os apóstolos, profetas, eles são os dois alicerces da igreja e juntos eles formam uma igreja poderosa, que o alicerce é forte.

Bispo Robson Rodovalho  – Miguel e hoje, você junto com todos nós que vemos Marcha para Jesus em todo o Brasil e em algumas capitais com 1 milhão de pessoas. Manaus deu 1 milhão e duzentas pessoas e depois aqui em Curitiba, que também é uma potência. Temos também uma frente evangélica de mais de 80 deputados, o evangelho alcança a essas alturas mais de 35% do país, que se declara cristão evangélico nascido de novo. Como você vê todo esse contexto? O que pode dizer de todo esse mover do Senhor?

Pastor Miguel Piper – Estou muito animado com a igreja mas eu sinto que Deus faz, como você bem sabe, leva a igreja a um ponto, purifica, Ele vai cortando e dizendo que agora você vai crescer, produzir mais frutos. Eu creio que diante da situação política que nós estamos vivendo, que é um momento que a igreja, que Deus está tratando nosso coração para que tenha ambição no nosso coração, tenha essas coisas que está promovendo essa vergonha em nossa nação e a igreja precisa ser purificada, mas eu vejo que já está acontecendo isso. E nós vamos avançar, não tem nada que possa impedir a igreja hoje, de ser não somente maioria numérico no mundo espiritual e isso pra mim que importa. Nós estamos vivendo, vendo barreiras cair, não importa mais a placa, importa que eu te conheça, você me conheça no mundo espiritual e eu posso confiar em você, contar com você, posso andar com você, plaquinhas ficam para lá, nós podemos andar juntos, essa unidade vai trazer grande vitória a essa nação

Bispo Robson Rodovalho – E que palavra você deixa para as novas gerações que estão surgindo, os jovens, os casais jovens, solteiros que estão se despertando e querem segurar essa tocha, essa chama para as próximas gerações que estão chegando?

Pastor Miguel Piper – Eu creio que esse momento enquanto você ainda é jovem, quando está recém-casado é hora de se entregar de vez. Muitas vezes as pessoas que já tem casa, trabalho, aquela coisa toda, eles não se dispõe tanto. Eu vim com 22 anos de idade, minha amada com 21 e nós deixamos para lá tudo o que tínhamos. Fica, nós temos uma herança em Deus. Se você crer que há uma herança verdadeira aqui na terra como também no reino dos céus você precisa agora se entregar totalmente. É o momento de uma renovação, como você e Cirino foram uma renovação naquela época, também eu, nós nos entregamos de tal maneira. Há uma nova geração se levantando, precisamos reconhecê-los, capacitá-los e dizer vai, é a sua vez, leva a tocha adiante porque é o momento da igreja dizer nós estamos em transição para algo novo, maior e mais forte.

Bispo Robson Rodovalho – O que você espera para esses dias e o que a igreja pode esperar dentro desses dias que estão sendo desenhados, onde parece que nós estamos no fim dos tempos?

Pastor Miguel Piper – Eu vejo uma convergência de quem é de Jesus e uma convergência terrível para aqueles que não são. Essa batalha é muito real no mundo espiritual e nós precisamos dizer: “Senhor, eu já li o fim do livro e nós somos vencedores”, e por isso sair sem medo e sem receio e dizer: “Nós somos mais que vencedores”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *