Cientista cria teoria que prova a existência de Deus e ganha prêmio

A mesma teoria ressaltada por Robson Rodovalho, Bispo evangélico PHD em Física Quântica pela FCU, Flórida e Gerald Schroeder- pós doutor em Física Quântica pelo MIT , do “propósito da vida”, foi recentemente comprovada pelo Físico e teólogo Polonês Michael Heller,  que, além de cientista, é um dos teólogos mais renomados da Polônia. Bispo Rodovalho e Schroeder, inclusive descrevem em seu novo livro “O Universo, a Teoria Quântica e a Espiritualidade” a ligação intrínseca entre o empreendimento científico e a visão espiritual da realidade.

A comprovação da existência de Deus por meio de estudos científicos deu origem a “Teologia da Ciência” e o polonês recebeu como reconhecimento o prêmio de US$ 1,6 milhão, em Nova York, da Fundação Templeton, que tem a participação de cientistas do mundo inteiro.

Em sua teoria, Heller explica que a existência de Deus através da teoria do Big Bang, ou da formação do Universo, é hoje a teoria mais aceita para a criação do universo, e diversas pessoas acreditavam que isso provava que o universo não foi criado por Deus, então, diante disso, decidiu ir mais longe e pesquisar mais a fundo.

A falta de explicação para o que originou a grande explosão dá a ciência a oportunidade de encontrar a Deus, afirma Heller. Ele diz ainda que não conseguiram provar tal fato e dificilmente conseguirão. Alguns dizem, que o universo é muito quente e denso, por isso, em algum espaço finito do passado teria se resfriado pela expansão diluído atual, que continua em expansão atualmente. Mas que ainda torna a teoria incompleta.

Ele explica que em todo processo físico, uma coisa sempre origina a outra, ou seja, “um estado precedente é uma causa para outro estado que é seu efeito. E há sempre uma lei física que descreva esse processo”, diz ele. Deus teria dado o ponta pé inicial e ainda reage as leis da física. “A ciência nos dá o Conhecimento, e a religião nos dá o Sentido. Ambos são pré-requisitos para uma existência decente”, ou seja, ele não descarta nem a religião nem Deus e sim os une para dar sentido a tudo.

Sua teoria não agradou a todos e foi alvo de críticas de diversos cientistas, que inclusive reclamaram sobre a premiação da Templeton. O biólogo evolucionista Richard Dawkings, questiona o prêmio dado a Heller e afirma que houve uma predileção por temas sobre religião, embora os jurados afirmem que tudo ocorreu de forma clara, e que a teoria apresenta conceitos originais sobre como o universo surgiu, coisa que não acontece todos os dias.

Heller além de cientista é padre e não é de hoje que causa polêmicas no meio científico. Com 80 anos, o padre tem PHD em cosmologia desde 1966. Ele atua como professor de filosofia da ciência e lógica no Instituto Teológico em Tarnow e da aulas de filosofia na Pontifícia Universidade de João Paulo II e já foi perseguido pelos soviéticos por conta de seus estudos que iam contra a ideologia ateia comunista na região.

Com informações do portal Fatos Desconhecidos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *