Como o eleitor deve se comportar depois das eleições

No último domingo aconteceram as eleições para Deputados Estaduais, Distritais e Federais, além de Governador e Presidente da República em todo o país. Muitos estados definiram seus governantes em 1° turno, mas ainda haverá 2° turno em alguns locais, assim como para a presidência. O Tribunal Superior Eleitoral divulgou que 505 deputados federais foram eleitos por unidade da federação. Com tantos políticos eleitos, cabe agora ao eleitor acompanhar todos os projetos e decisões tomados por seus candidatos e por aqueles que alcançaram o cargo público. Depois das eleições o exercício da cidadania continua.

O seu voto não deve parar na urna, deve ser um processo que seguirá os próximos quatro anos. É importante fiscalizar as leis que entram em vigor e que foram aprovadas pelos seus candidatos, além de suas propostas na Câmara e no Congresso Nacional. “Um dos maiores impasses  para o crescimento e o desenvolvimento do Brasil, é exatamente a alienação pós eleições. As pessoas não sabem em quem votaram, não lembram das suas propostas, dos seus compromissos. Não conseguem fazer conexão de cobrança, de acompanhamento do mandato”, afirma Bispo Robson Rodovalho.

A fiscalização do servidor público é fundamental para evitar casos de desvio de dinheiro público, verbas altas de gabinete e a criação de projetos de lei inúteis para o país. Além do e-mail do candidato, uma série de portais estão a disposição do eleitor como ferramentas eletrônicas para fiscalizar, que são:

– www.portaltransparencia.gov.br

– www.tse.jus.br

– www.transparencia.org.br

– www.tcu.gov.br

– www.contasabertas.uol.com.br

– www.amarribo.org.br

Também foi lançado, recentemente, um aplicativo para smartphones que ajuda a acompanhar os políticos em seus cargos públicos. Disponível gratuitamente para os sistemas iOS e Android, o Voto a Voto permite que o eleitor avalie, a partir de 1º de janeiro, o desempenho dos políticos que ajudou a eleger. Pelo Voto a Voto, será possível enviar uma mensagem diretamente ao político e aguardar uma resposta no e-mail cadastrado pelo usuário. O usuário insere os nomes ou números dos candidatos em quem votou nesta eleição e foram eleitos. Depois, pode ler notícias que envolvam o nome de cada político e, com apenas um toque, decidir se o desempenho do mesmo está sendo positivo ou negativo, opinião que pode ser alterada a qualquer momento. A partir das opiniões de todos os eleitores, a ferramenta formará um gráfico para cada político pelo qual se poderá acompanhar como os usuários estão avaliando seu mandato. “O que faz a diferença é uma sociedade atuante, presente. O mínimo que temos que fazer é acompanhar o trabalho dos candidatos no qual votamos. Faça isso pelos menos a cada semestre porque, assim, as pessoas públicas vão saber que elas estão sendo acompanhadas”, concluiu o Bispo Robson.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *