DIÁLOGO DAS RELIGIÕES

O cristianismo foi o responsável por trazer a civilização ocidental ao seu estágio atual. Ninguém pode negar que a história da humanidade se divide em antes e depois da influência dos princípios que Cristo trouxe a este mundo. O Cristianismo encontrou um mundo sem valores humanos, sem liberdade de qualquer espécie, sem nenhuma tolerância a adversários e pessoas contrárias ao pensamento vigente na época, sem a menor condescendência com os mais fracos.

Foi por meio da influência dos valores do reino de Deus e dos princípios do evangelho que a igreja cristã venceu as resistências e as adversidades, se firmando como condutora do processo de formação da nova sociedade. É claro que a igreja caminhou com o desenvolvimento do pensamento humano e, durante os dois milênios de civilização cristã no ocidente, fixou esses valores e trouxe à humanidade uma nitidez sobre como construir uma sociedade democrática, onde perdura a paz, o respeito ao ser humano, a tolerância com os que pensam de maneira diferente, dentro de uma compreensão de que somos companheiros nesta jornada da vida. Independente de termos posições e convicções diferentes sobre o eterno e de como nos interpomos a ele neste mundo.

Foi o Senhor Jesus Cristo, em Mateus 5:45 que disse, “porque faz que o Seu sol se levante sobre bons e os maus, e a chuva desça sobre os justos e injustos“. Aqui, definitivamente, Jesus deixou claro que, neste mundo, todos somos participantes das mesmas oportunidades da vida e da graça da criação de Deus, independente de qualquer convicção.

A sociedade que formamos é pluralista, independente de qualquer absolutismo que acreditamos ter ou possuir. Dentro do respeito aos princípios fundamentais e constitucionais, nossa sociedade precisa ser tolerante e aberta ao diálogo, mesmo dos contrários. A concordância e a unanimidade, quando alcançada, pressupõe estar apenas dentro de nossos limites internos.

A história já nos mostrou, e a realidade nos mostra diariamente, que intolerância e radicalismo são frutos da arrogância e sementes de desastres individuais e sociais. Ainda agora nosso mundo sofre por tal comportamento.

Não obstante a nossos conceitos e pensamentos, temos que fugir, a qualquer custo, da premissa de que a verdade tem monopólio e o mal se resume aos que são e pensam diferentes de nós.

Manter este equilíbrio e guardar nossas convicções, construindo pontes de diálogo abertas à toda sociedade, é o nosso grande desafio. Acredito que a igreja precisa ser exemplo e condutora deste processo de diálogo, em prol de uma sociedade democrática e justa, são objetivos que interessam a todos, como cidadãos e companheiros.

Precisamos formatar estruturas e pontes para que este processo possa se concretizar. Neste sentido, toda abertura e respeito devem ser pré-requisitos, para que tal realidade se estabeleça entre nós.

Bp. Robson Rodovalho

Brasília, 01 de Setembro de 2009.

One thought to “DIÁLOGO DAS RELIGIÕES”

  1. "A história já nos mostrou, e a realidade nos mostra diariamente, que intolerância e radicalismo são frutos da arrogância e sementes de desastres individuais e sociais. Ainda agora nosso mundo sofre por tal comportamento." Através desta frase certamente devemos lembrar que o maior Dom de Deus é o amor (o amor não discrimina, não crítica é tolerante)…Quando se tem JESUS tudo isso cai por terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *