O Batismo no Espírito Santo – Parte II

Batismo no Espírito Santo – Parte I

Não podemos nos satisfazer com apenas uma ou duas experiências e parar por aí. Deus quer que prossigamos a busca de Sua unção, pois isso levará a receber Sua glória mais e mais.
“Assim, pois, todos os anciãos de Israel vieram ter com o rei, em Hebrom; e o rei Davi fez com eles aliança em Hebrom, perante o Senhor. Ungiram Davi rei sobre Israel” (11 Sm. 5).

“Tomou Davi os escudos de ouro que havia com os oficiais de Hadadezer e os trouxe a Jerusalém… Reinou, pois, Davi sobre todo o Israel; julgava e fazia justiça a todo o seu povo” (11 Sm. 8:7-15).

“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”.

Há dois conceitos de interpretação teológica na Igreja a respeito do batismo com o Espírito Santo. Uma corrente diz que ao recebermos o Senhor já recebemos o Espírito Santo, e que precisamos apenas estar nos enchendo dele. A outra corrente diz que ao recebermos o Senhor, já recebemos o Espírito Santo, mas devemos buscá-lo para que venha a nós em uma nova medida e nos leve a outro plano de vida espiritual; esta é a segunda experiência, e quando isto acontece, normalmente os dons são liberados.

A verdade é que ambos estão corretos. Quando aceitamos o Senhor recebemos o Espírito, porém precisamos buscá-lo e ter novas experiências que nos levem a outros planos de vida cristã; mas, após recebermos nova medida, devemos continuar nos enchendo até chegarmos à capacidade e limite máximos. Depois de atingir o ponto máximo necessitamos de nova medida que dilatará nossa capacidade de sermos cheios do Espírito.

Cremos que isso precisa acontecer até que tomemos Sião, ou seja, os lugares celestiais, até que possamos nos assentar em vitória sobre os nossos inimigos. A questão é desenvolvermos o ensino correto e a fome pelo Senhor. Não podemos nos satisfazer com apenas uma ou duas experiências e parar por aí.

Deus quer que prossigamos a busca de Sua unção, pois isso levará a receber Sua glória mais e mais. E nos capacitará a cumprir Seu plano e o ministério que nos entregou. O Senhor quer que sua Igreja domine e exerça autoridade nos céus e na terra, porém isto é místico, não é prático.

Contudo, podemos experimentar esta verdade de desenvolvimento no que Jesus disse em Jo. 15:16 “eu vos escolhi a vós outros, e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça …” Aqui Jesus está dizendo que nos escolheu e nos chamou para que fôssemos e déssemos frutos. É isso que o Senhor quer de nós. Deus levará Sua casa a prosseguir, avançando nestas verdades. Cremos que a Igreja irá, nos últimos dias, receber mais e mais poder do Espírito Santo.

Mas precisamos dar frutos hoje. Dar frutos fala de praticar as obras do Espírito e desenvolver nossos talentos e ministérios recebidos do Senhor.

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei”, Gl. 5:22.

“Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado”, Mt.25.

Continua…

Bispo Rodovalho

One thought to “O Batismo no Espírito Santo – Parte II”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *