O evangelho moldado conforme nossa vontade não tem poder

Quando Jesus falou “perdoados são os teus pecados”, confrontou uma série de rituais religiosos, confrontou o tradicionalismo judaico e seus conceitos. 

O salão da reunião estava repleto de fariseus e saduceus. Geralmente, é assim que os milagres e sinais acontecem: quando inúmeras pessoas alheias ao que está acontecendo aparecem. Sempre quando o seu convidado vai pela primeira vez!

Deus fez assim porque Ele sabe como agir diante de cada circunstância. Deus não joga confete em ninguém. Quando Ele quer agir, age. Às vezes, queremos limitar o poder de Deus, pensando: “Ah, mas se fosse um evangelho um pouquinho mais para a direita, ele aceitaria. Se o pastor falasse sobre amor, paz, com certeza o homem seria tocado”. Entretanto, o evangelho moldado conforme nossa vontade não tem poder. Um evangelho cheio de limitações não transforma ninguém, só agrada à carne. Não adianta ir à igreja, sentar-se no banco, voltar para casa e continuar o mesmo. 

Não adianta nada levantar as mãos, como eu conheço muita gente que faz e, terminando o culto, vai assistir a filmes pornográficos, vai para o motel, bate na esposa, nos filhos, etc. Depois do culto, a vida, é toda desajustada. Que evangelho é esse? Que Deus é esse que não traz transformação?

Eu prefiro pagar um preço maior e ver uma conversão total; prefiro esperar mais um pouco e ver lágrimas rolando nos rostos, por quebrantamento, joelhos no chão, cabeça prostrada, mãos levantadas, dizendo: “Senhor, eu Te adoro, me rendo, me entrego a Ti. Tu és o meu Deus, o meu Senhor!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *