O mundo é governado pelo sofrimento

Há cerca de um mês, li no jornal O Globo uma entrevista interessantíssima do cientista político francês Bertrand Badie. Ele tem 65 anos de idade, e vem ao Brasil há pelo menos 20.

Badie não perdeu tempo na conversa com o jornal. Na primeira resposta, já mandou seu recado principal: “O mundo hoje é feito de sofrimento antes de ser feito de poder. A cada três horas, 2.800 pessoas morrem de fome: igual a um World Trade Center. Antes, o poder governava o mundo. Hoje, é o sofrimento”.

Um povo em sofrimento, humilhado, faz-se terra fértil ao reino de falsas lideranças, que em nome de Deus – independentemente da representação que o Pai tenha na religião de cada um – escravizam, matam, extorquem o pouco de dinheiro e comida que mal chega para a sobrevivência das famílias.

Eis exatamente o que fazem os soldados do Estado Islâmico, cegos pela ideia de estabelecer um Estado teocrático, em que as regras da sociedade sigam as leis do Alcorão. Organizaram-se em milícias fortemente armadas e seguem, dia a dia, ocupando partes de países do Oriente Médio, onde pretendem erguer o seu Califado.

Acreditam ser mais puros que seus iguais, porque, dizem eles, são movidos pela fé, pela causa do Califado, pela qual, na marcha do Estado Islâmico, oferecem a própria vida.

Meus irmãos, em diversas de suas passagens, a Bíblia nos mostra que a Palavra condena o extremismo. Da mesma forma viola as Escrituras aquele que mata em nome da fé.

Vejamos a parábola em Lucas (18:10-14):

10 Dois homens subiram ao templo com o propósito de orar: um, fariseu, e o outro, publicano.
11 O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano;
12 Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho.
13 O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador!
14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado.

Todos somos pecadores, e seremos perdoados se nos ajoelharmos e humilharmos diante do Senhor. Quanto aos fariseus, aqueles que usam o nome de Deus para impor sofrimento e humilhação aos irmãos, esses irão perecer.

Artigo retirado da Coluna do Bispo Rodovalho, para o portal Gospel Prime 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *