Por que não somos espíritas?

O espiritismo é a religião que quer convencer o homem da relação de um mundo espiritual com o mundo corpóreo por meio de manifestações de espíritos dos mortos e seres extraterrenos que “se comunicam com seres humanos, constituindo assim a base da doutrina espírita”. O sincretismo religioso contém elementos de vários pensamentos: do cristianismo, budismo, hinduísmo, teosogia, bramanismo e várias formas de esoterismo, que juntas caracterizam o espiritismo. O resultado dessa mistura é um fraco sistema doutrinário que deseja fundamentar-se no evangelho de Jesus observando apenas aspectos morais de seus ensinos, mas não o aceita como o Salvador da humanidade. Segundo Léon Denis, sucessor de Alan Kardec, o fundador da religião, e intitulado o filósofo inconfundível do espiritismo, a “Bíblia não pode ser considerado produto da inspiração divina. Ela é de origem puramente humana, semeada de ficções e alegorias, sob as quais o pensamento filosófico se dissimula e desaparece muitas vezes”. (O Cristianismo e o Espiritismo, 5º edição, pag. 130). O que hoje se chama de espiritismo, na Antiguidade e na Bíblia é conhecido como necromancia.

Por que não somos espíritas? 

  • O espiritismo crê que somente a reencarnação justifica as desigualdades sociais, a violência no mundo, a felicidade de poucos, as catástrofes da natureza porque entendem que a reencarnação é a forma mais justa para fazer o pagamento das culpas do homem durante suas vidas. Portanto, fora da reencarnação, não pode haver justiça.
  • O espiritismo ensina que a base para a evolução no progresso espiritual é o sofrimento e a encarnação que têm como objetivo chegar à perfeição.

O que a Bíblia diz? 

  • A Bíblia nos ensina quantas vezes vive e morre o homem e o que virá após sua morte: “E, assim, como aos homens ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo...”(Hb 9:27).
  • Toda justiça provém de Deus. Em sua palavra está escrito: “Ele mesmo julga o mundo com justiça; e os povos com retidão”. (Sl9:8). A justiça não depende de homens encarnarem e reencarnarem, pois ela não está em suas mãos: “…para o homem a justiça vem do Senhor”(PV 29:26). Quem pode convencer o mundo sobre justiça é o Espírito Santo, como está escrito no livro de João 16:8.

A Bíblia já nos alertava sobe os falsos mestres que viriam pregar não a verdade, mas uma doutrina que satisfizesse a vontade do próprio e o impulso de cada um para o pecado.: “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fabulas”.  (II Tm 4:3-4). Jesus nos mostrou no livro de Lucas (Lc 16:19-26) o que aconteceu com aqueles que estão mortos. Ao observarmos a parábola do rico e de Lázaro: vemos que eles não podem voltar para pregar salvação aos que ainda estão vivos.

Não somos espíritas porque o espiritismo ensina que há retribuição das ações cometidas em vidas anteriores boas ou más, por intermédio de reencarnações, o que chama de Karma. O espiritismo ensina que o pecado do homem é expiado por ele mesmo, através de sucessivas reencarnações. Não acreditam que há expiação de pecados pelo sangue de Jesus já que a existência de castigo após a morte só acontece de duas maneiras: reencarnando ( e dessa forma sofrendo em uma nova existência); ou vagando como espíritos errantes (estes são os espíritos que precisam de luz e praticam caridade encarnando no corpo dos médiuns- sem que estes saibam tratar-se de demônios).

Os ensinamentos de Jesus têm apenas um fim moral, mas não são capazes de trazer a salvação para o homem, já que os espíritas consideram Jesus um iluminado, um modelo ideal da perfeição moral como Buda, por exemplo), mas não filho de Deus.

A Bíblia diz que Deus nos promete a vida eterna por meio do seu filho Jesus Cristo, pelo fato deste já ter carregado em si os nossos delitos: “Cristo tomou sobre si as nossas enfermidade, e as nossas dores levou sobre si…o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele e por suas pisaduras fomos sarados” (Is 53:4-5). É certo, porém, que se pecarmos, morreremos e por isso seremos julgador por Deus único juiz de vivos e de mortos: “e nos mandou pregar ao povo e testificar que ele é quem foi constituído por Deus Juiz de vivos e mortos”. (Atos 10:42) 

Na próxima terça-feira, tem mais desse texto que está no meu livro Por que não somos espíritas? 

5 comentários em “Por que não somos espíritas?

  1. Muito bom, Deus é tremendo e nada explica apenas ensina o que é certo e o que é errado, glórias a Deus pela vida de nosso Bispo homen de Deus, que Jesus esteja sempre ao lodo dele !!!!

  2. E bispo Robson Rodovalho tem pessoas que vivem nesse círculo e nem se dar conta que estar sendo usado e maís e que esses tipos de espíritas eles estão sendo sugado em todas as áreas da vida esses tipos de coisas fazem com que as pessoas passa a ter algum tipo de dependência mais e só ilusão da parte de quem pratica ese tipo de coisa um abraço Deus abençoe vc é família

  3. Ótima explicação. Não deixou dúvidas. Muitos falam com rodeios para agradar a todos. E a palavra nos diz, que seremos odiados de muitos por falarmos a verdade. Que Deus continue a abençoá-lo e dando sabedoria para pregar o evangelho de Jesus Cristo. Fique na Paz!

  4. Bons argumentos para quem nunca estudou com profundidade os ensinamentos de Jesus.

    Mas é importante destacar que toda religião que prega o amor ao próximo e a Jesus Cristo tem valor na melhoria do ser humano.

    Bom trabalho. Mas acho mais produtivo continuar o trabalho de trazer Jesus para todas as pessoas que ainda não tem religião que julgar outras religiões igualmente importantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *