Por que perdemos nossos filhos?

A sociedade está em choque. Acontecimentos que desafiam a capacidade de compreensão têm levado pessoas a reverem valores, princípios e, especialmente, a educação familiar.

Ainda estamos em busca de respostas à perguntas como: Por que uma menina bonita e rica planeja o macabro assassinato de seus pais? Por que um jovem universitário decide matar sua avó e a empregada, simplesmente para conseguir dinheiro para comprar drogas? Casos e mais casos tem sido noticiados que ainda não encontramos uma explicação convincente. Buscamos incessantemente respostas para loucuras como a ocorrida na escola em Realengo no Rio de Janeiro recentemente.

A sociedade brasileira entrou debaixo de uma onda de violência sem precedentes. Assaltos, sequestros, balas perdidas e outras atrocidades já fazem parte do cotidiano do brasileiro e nem chamam mais a atenção dos noticiários. Infelizmente já acostumamos a viver nessa selva de asfalto.

Acostumamos aos absurdos, às loucuras, às barbaridades e, até então, tudo isso era imputado aos desequilíbrios sociais. Por ser a causa mais evidente dos problemas da sociedade, “jogamos tudo debaixo deste guarda chuva”.

O fato é que a vida é mais complicada do que pensamos. Nem sempre temos respostas para nossas perguntas. E quando as obtemos, nem sempre são as respostas que gostaríamos.

A violência tem se espalhado no seio da sociedade e agora chega até as famílias. Pode-se dizer que nos últimos dias ela percorreu o caminho oposto: saiu do ambiente familiar e contaminou a sociedade. Temos visto pais atônitos e perplexos ao descobrirem seus filhos envolvidos em tragédias. Parecemque lhes são estranhos no ninho. Uma mistura de vergonha e dor toma conta de seus rostos e faltam-lhes palavras para explicar os acontecimentos.

Vivemos, hoje, uma profunda crise de valores. A sociedade corre em busca de certezas. Como criar filhos com segurança? Como protegê-los das influências do meio social? Como explicar que a mídia alimenta ilusões e fantasias?

Sozinhos podemos fazer pouca coisa. São os veículos de comunicação que moldam a sociedade.

As novelas traçam o comportamento dos jovens e os lançam em uma busca de prazeres a qualquer custo, rompendo os valores mais nobres de amor, de relacionamentos, de fidelidade e de família.

Os pais que suprem seus filhos com dinheiro e presentes em detrimento à educação e ao afeto correm o risco de perdê-los para uma selva invisível, que os rodeia a cada dia e instante. Não basta reconhecer que você oferece aos seus filhos bem mais do que recebeu de seus pais. Nos dias de hoje, o desafio de ser pai é, talvez, o maior de todos.

Maior do que ser um grande empresário ou um profissional famoso. Ele exige todo o seu coração e seu empenho. Seus filhos vão ter que fazer de você um amigo, um companheiro, um professor e, finalmente, alguém comprometido em formar um líder, um vencedor capaz de conviver com todos esses absurdos sem se tornar parte deles.

Talvez você considere essa tarefa impossível ou pesada demais para sua capacidade. Mas, honestamente, é o único caminho para andarmos seguro e, com a ajuda de Deus, educarmos prudentemente nossos filhos.

Bispo Rodovalho

 

One thought to “Por que perdemos nossos filhos?”

  1. Bispo.
    A Paz do Senhor.
    Li o seu artigo sobre “Porque perdemos nossos filhos”.
    Trabalho em uma escola cristã em Osasco.
    Sábado passado tivemos a festa da família com os nosso pais, e o texto foi pertinente ao assunto da festa.
    Estamos enviando para todos os nossos pais o texto.
    Gostaria de saber se o Senhor poderia um dia vir em uma reunião com os nossos pais.
    Gostaria também de receber artigos do Senhor sobre família e educação.
    Aguardo resposta.

    Fique na Paz.
    Aliete
    EDUCAR PARA A VIDA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *