Qual o verdadeiro conceito da beleza?

Algumas pessoas podem questionar se a procura pela beleza, não se contrapõe aos princípios da espiritualidade. É aceitável procurar ter beleza? Isto não contradiz claramente aos ensinos das Escrituras Sagradas e até mesmo da sabedoria de vida? O problema está no conceito de beleza que nossa sociedade atual desenvolveu, que está intimamente relacionada à sensualidade. É impossível imaginar beleza sem pensar em nudez ou exposição do corpo, em imagens sensuais a serviço da indústria da pornografia. Em um estudo mais apurado das Escrituras Sagradas, encontramos algumas menções interessantes sobre a beleza de alguns de seus personagens. Por exemplo, em 1 Samuel 16:18, lemos que Davi era de “gentil aspecto” ou “bonito”. Daniel e seus companheiros eram bonitos (Daniel 1:4). Absalão, filho rebelde de Davi, era considerado muito belo (2 Samuel 14:25). No livro de Salmos (45:2), uma profecia a respeito de Jesus nos diz que ele “era o mais famoso dos filhos dos homens”.

Embora, no livro de Isaías 53:5-7 encontramos uma mençã0 sobre o sofrimento de Jesus por meio da expressão “não havia nele formosura alguma”. O texto está se referindo à desfiguração de Jesus devido ao seu sofrimento na cruz.

O conceito de beleza apresentado aqui, é uma harmonia capaz de alcançar graça e aceitação nas pessoas. Tem a ver com uma aparência saudável, pacífica, graciosa e capaz de abrir as defesas de seus interlocutores. Ou seja, algo agradável aos olhos. É o princípio da aceitação, e isto é importante em qualquer sociedade e em qualquer época da vida.

É claro que este conceito de beleza obedece às estações da vida. Uma pessoa bela na velhice é totalmente diferente da beleza de         um jovem. Mas ambos, obedecem aos mesmos princípios de uma aparência agradável e inspiradora. Por isso, cuidar da saúde e do corpo não é vaidade, é responsabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *