Saiba que todo sofrimento tem um propósito

Quando analisamos sobre o sofrimento em nossas vidas, nós sempre o fazemos de forma indignada. Parece que não nascemos para sofrer. O projeto original de Deus levaria o homem à felicidade, ao governo, ao domínio e à eternidade. O sofrimento entrou em nossas vidas por acidente cósmico chamado “queda do homem”. Reagimos mal frente ao sofrimento porque não fomos criados para ele.

Ele indica que há alguma coisa fora do lugar. Como um alerta de que algo está sem harmonia. Como uma dor, que dá sinal quando algo não vai bem. Quando falamos de erros precisamos separar aqueles que procedem de erros e decisões infelizes que tomamos, ou seja, sofrimentos que vieram por consequências de nossas ações, daqueles sofrimentos involuntários que abatem sobre nós de uma maneira inesperada, em que não cooperamos para nos sobrevir.

O sofrimento que nos vem como consequência é mais fácil de lidar e aceitar porque o senso de justiça prevalece, ou seja, se semeamos é justo que colhamos. O segundo tipo de sofrimento, o que nos abate de maneira inesperada, é mais difícil de aceitar, porque é um sofrimento “injusto”. Ele nos toma de assalto e muitas vezes nos leva a questionar a justiça eterna e o governo de um ser onipotente e supremo como o nosso Deus.

À medida que avançamos na maturidade cristã, aprendemos a confiar que não apenas o primeiro sofrimento quanto o segundo estão sob a permissão, o governo e a administração de Deus. Uma que vez que colocamos nossas vidas em Suas mãos, temos a responsabilidade de confiar que Ele nos guiará e nos levará ao propósito determinado para nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *