Vida abundante é vida com qualidade, e isso implica a maneira como nos alimentamos

Percebemos que Deus não mencionou, na criação do homem, a doença. Então poderíamos perguntar: Por que essa omissão? A resposta é simples: na criação havia equilíbrio. Mesmo depois da queda do homem, já na constituição nacional de Israel, não vemos Deus organizando hospitais ou profissionais da saúde.

Deus instituiu várias classes: profetas, levitas, juízes, reis, marceneiros, ourives e outros profissionais. Percebemos a Sua preocupação com a segurança, a educação, as questões de moradia, as situações familiares e outras necessidades que o povo teria. Porém, não se preocupou em instituir profissionais de saúde. Por quê? Em Sua sabedoria, Deus estabeleceu leis e princípios que, se fossem observados pelo povo, este não precisaria de profissionais nessa área.

Se pararmos para pensar na realidade daquele povo êxodo do Egito, milhares de pessoas no deserto, que é um lugar de umidade baixíssima, de temperaturas extremas, onde as condições de higiene são precárias e há grande escassez de água, vemos que seria um lugar previsível de haver enfermidades e a necessidade de profissionais da saúde. Entretanto, não encontramos qualquer relato de doenças ou enfermidades e muito menos de hospitais onde se pudessem socorrer pessoas, mas Deus disse: “Eu sou o Senhor que te sara”. E isso aconteceu!

Jesus disse que nem só de pão o homem viveria, logo concluímos que o homem também vive de pão, porque pão é vida, é força. Se o homem está experimentando uma vida de abundância é porque o pão que come está produzindo nele as condições apropriadas para que sua saúde seja conforme o projeto original.

Se houver alguma disfunção ou anomalia como enfermidades, dores, problemas gastrointestinais, diabetes, hipertensão ou hipotensão, o motivo causador desses distúrbios não é o seu corpo, mas a comida da qual você se alimenta e os seus hábitos de vida.

Sintomas físicos são efeitos, nunca a causa. A medicina alopática trata a doença como causa porque ela não foca a saúde e, sim, a doença. Os médicos se especializam nas doenças. Não há cursos que formem profissionais em saúde, na essência dessa palavra. Vida abundante é vida com qualidade, e isso implica a maneira como nos alimentamos.

Ter critério na escolha da alimentação é um ato que demonstra amor consigo mesmo e com seus familiares. Se você recebeu uma alimentação desde a tenra idade e nunca se preocupou em examinar a sua composição, está se colocando à mercê dos maiores riscos e absurdos.

Não se engane, nós estamos falando de vida. Há coisas que se você perder terá chance de se recuperar. Entretanto, saúde é um bem que devemos preservar e de difícil recuperação após perdida. O maior patrimônio que possuímos na vida nesta perspectiva natural. Sem saúde uma pessoa fica triste, deprimida, desesperada e amargurada. Tem dificuldade de manter uma comunhão com sua família e até mesmo com Deus. Portanto, se você se ama e ama aos seus familiares, cuide de si mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *